quinta-feira, dezembro 09, 2004

O coveiro

Pois é aí está! O coveiro do partido mais antigo português, PCP. O Carvalhas não quis tal distinção então chamaram o operário Jerónimo!
É mesmo caso para dizer JEEERRRÒÒÒNIIIIMMMMOOOOOOO!!!!!!!!
E ele já anda com eles na mão com esta coisa do entendimento entre o PS e o BE!!!!
Até tenho pena do homem. Mas ele até parece o Cunhal embora de fato e gravata! Remakes?!?!

4 comentários:

1bigonobalcão disse...

Fazes muito bem pensar assim!! Ao menos tudo se torna volátil, se é que me faço entender.

1bigonobalcão disse...

Uma esquerda com as melhores trufas (tantos podes pensar na luxosidade da iguaria ou na obscuridade da vida desse macrofungo) talvez seja melhor, temos provas disso à muito tempo.
Bora lá enterrar o P.C. para sermos abocanhados mais rápidamente.

NeuroGlider disse...

Não me levem a mal eu não desejo a morte do PC! Apenas constato que a ignorancia dos seus dirigentes não os permite olhar para o futuro e fazer avançar o comunismo. Não é que considere que o Marxismo-Leninismo esteja morto. Antes pelo contrário até julgo que tem cada vez mais actualidae. No entanto ele tem de ser reformulado para os dias que correm e isso não acontece de todo com este (NEOFASCISTAS) comunistas que estão a liderear o PC. Eles não são capazes de evoluir, são uns dinosauros á espera do meteorito!!

Biranta disse...

Sou uma (das?) pessoa que nunca viveria nos USA, apenas porque me poderia, em qualquer altura, apetecer ser comunista e considero uma aberração tamanha do nazismo, um qualquer país decidir que ser comunista é crime. O comunismo, (ou socialismo, ou marxismo-leninismo e/ou maoismo; ou o que lhe quiserem chamar) como ideologia, é um objectivo lindo, não tenho dúvida em afirmá-lo. Até porque exclui, em absoluto, o egoismo de que tanto nos queixamos, actualmente. No caso do PCP, a "grande" virtude que lhe reconheço, resume-se à militância. Quanto à prática, ao sectarismo vesgo e tendencioso, à postura de defesa, cega e intransigente, dos seus próprios interesses (do partido, que não, necessáriamente, dos militantes e simpatizantes) não tem diferença, relativamente à actuação dos outros partidos. Nem me parece que venha a ser diferente, agora, com o Jerónimo. Mas, quanto a mim, cada um pode muito bem "comer do que goste", desde que se limitem a ocupar o seu lugar, desde que sejam honestos e coerentes; isto é: desde que não ocupem (porque não têm legitimidade para isso) o meu lugar e o dos restantes cidadãos que se abstêm, por estarem cansados de tanta demagogia inconsequente, de tanta patranha, sempre com o mesmo resultado prático: a nossa situação real a piorar continuamente. Se os partidos (e estes em particular) não sabem como resolver os problemas, ao menos não obstruam as soluções, apenas porque isso fragiliza a sua posição. Depois, eu tenho a mania de que, com metade da representatividade de qualquer deles, já teria conseguido "virar" a nossa situação há muito tempo. Se calhar é por isso que ando aqui a falar, apenas nos "blogs" e para os "bloguer". Ou talvez seja engano meu. O facto é que pior não conseguiria fazer. Por mim podem ser todos muito felizes, ou ir todos para o inferno, juntos ou separados. Tanto se me faz, porque todos eles têm contribuido, cada um a seu modo, para fazer da nossa vida "um inferno".