domingo, julho 24, 2005

O Império contra ataca (III)



Venho pôr aqui uma posta com o comentário que o Sofocleto deixou aqui na minha última edição da "Frase da semana". Não é muito comum eu fazer estas coisas mas as palavras do Sofocleto são certeiras e muito elucidativas acerca da ordem mundial de modo que decidi postar o seu comentário. Aqui vai:

"Se o povo americano está descontente e impaciente com a guerra no Iraque, já os seus dirigentes oensam de outra forma:

Segundo Chossudovsky, a denominada “guerra ao terrorismo” é uma fabricação completa baseada na ilusão de que um homem, Osama bin Laden, conseguiu ludibriar o aparelho de informações norte-americano que possui um orçamento de 30 mil milhões de dólares.

A “guerra ao terrorismo”é uma guerra de conquista. A globalização é a marcha final para a “Nova Ordem Mundial”, dominada por Wall Street e pelo complexo militar-industrial americano.

O 11 de Setembro de 2001 foi o momento que a administração Bush aguardava, a denominada “crise útil” que forneceu um pretexto para empreender uma guerra sem fronteiras.

A estratégia americana consiste em estender as fronteiras do Império Americano de modo a facultar o controlo completo por parte das grandes corporações americanas, enquanto instala na América as instituições de um estado securitário.

Chossudovsky revela um enorme embuste – Uma complexa teia de logros com o objectivo de defraudar o povo americano e o resto do mundo no sentido de aceitarem uma solução militar que ameaça o futuro da humanidade.

Milhões de pessoas têm sido enganadas em relação às causas e consequências do 11 de Setembro. Quando pessoas nos Estados Unidos e no Mundo descobrirem que a Al-Qaeda não é um inimigo externo mas uma criação da política externa norte-americana e da CIA, a legitimidade da guerra desmoronar-se-á como um castelo de cartas.

Através do país, a imagem de um “inimigo externo”, é instilado na consciência dos americanos. A Al-Qaeda está a ameaçar a América e o mundo. A anulação da democracia sob a legislação «Patriot» é apresentada como um meio de proporcionar “segurança doméstica” e sustentar as liberdades civis."

Também recentemente me cruzei com algumas ideias de Chossudovsky e devo dizer que os seus argumentos e as provas oficiais que ele expõe são bastante evidentes em relação a um plano de dominação mundial dessa envergadura. Aliás, sem dúvida que esta guerra ao terrorismo só beneficia as elites corporativistas que controlam hoje os EUA.
A CIA volta a controlar a produção de ópio mundial e a usá-la como factor de destabilização social onde quer que seja, especialmente na Europa e na China. O exercito americano vende as armas antigas e experimenta as novas. Com isto não só se satisfaz a sede de sangue dos militares (que em todas as décadas da existencia dos EUA se envolveram em guerras) como se apoderam da maior parte das reservas de petroleo para poderem continuar a estupidificar a sociedade americana com SUVs e estrelas de hollywood e manter a máquina de guerra em funcionamento. No fim quem realmente controla os USA (United Sindicate of Administrations) as corporações, não só aumentam os seus lucros com a guerra ao terrorismo como encontraram novas localizações para as suas fábricas de bens de consumo em que os trabalhadores são quase escravos sem direitos. Numa outra frente a administração Bush incentiva o creacionismo e o evangelismo ortodoxo (tendo como melhor exemplo as campanhas acerca da virgindade) de modo a entranhar ainda mais esta estupidificação da opinião pública americana numa completa reedição do obscurantismo religioso da Idade Média na Europa. Para que isto tudo se possa concretizar tem de haver um inimigo nº1 para o americano comum se mobilizar e aceitar as mais imperialistas e totalitárias políticas a impôr. Acabou os soviets arranja-se um fundamentalista islamico (eterno inimigo do cristianismo em que os EUA se erguem) e com isto tudo o Bin Laden é o melhor aliado que podiam ter na guerra ao terrorismo (ainda por cima velho amigo da família Bush) pois assim os americanos já amolecidos pelas táticas de estupidificação suportam o governo ainda mais o governo na sua tentativa de controlo da sociedade. Ainda para mais depois do ataque espectacular e ultra-mediático que foi o 11 de Setembro ao qual ninguém pode escapar ao seu impacto. Posso estar a ser um pouco cínico para com as vítimas mas como é que "a super-potência" não detecta e age a tempo contra um ataque á sua maior cidade?!?! Algo não bate certo mas o que é certo é que mal os EUA foram atacados já tinham planos para atacar e invadir uns quantos países.
A ver vamos o que nos espera mas eu acho que isto vai descambar com o aumento do poder económico da China e do reerguer da Russia.

Com isto tudo caro Sofocleto acho que podemos dizer: "Não creio em bruxas mas que as há há!"

2 comentários:

Sofocleto disse...

Pois há! São as componentes do complexo militar-industrial norte-americano. A Lockheed Martin, a Northrop Grumman, a General Dynamics, a Carlyle, etc.

Estas meninas são insaciáveis. E isto já dura há muitos anos. Há demasiados!

NeuroGlider disse...

Ora nem mais!